Innocence - Capítulo IX

23 de julho de 2011



Aqui está mais um capítulo, meio atrasadinho de Innocence. Espero que estejam realmente gostando. Quero ver empolgação nos comentários hein? Beijos e uma Boa Leitura.



Capítulo 9 - Saudade


Fevereiro de 2003 – Dois anos Depois

Daqui a alguns dias seria meu aniversário de catorze anos. Isso estava ficando mais velha, e seria mais um ano sem a presença de papai. Desde aquele dia de minha súbita mudança para Forks, fiquei morando com Esme, Carlisle e meus primos. Carlisle não permitiu que eu voltasse para Seattle, disse que seria irresponsabilidade dele me colocar novamente em perigo. Eu falava raramente com Charlie ao telefone e a única vez que o vi, foi em uma Praça de Seattle, antes de eu completar treze anos, depois disso, faladas breves ao telefone e as vezes ele me manda cartas. Em uma de suas ligações, disse que seria perigoso para eu voltar a morar com ele, eu disse para que se cuidasse, e repeti a frase de Edward para ele: “Tudo não passava de uma fase, e logo iria passar.”
Estava bem impossível de falar com Edward abertamente agora, só quando eu chegava do colégio, e iria dormir é que falava muito pouco com ele, sempre estava vencida pelo cansaço, e acaba caindo no sono. Rosalie sempre estava ao meu lado, e queria a todo custo que eu fosse para o quarto dela, mas já era difícil de ficar com meu melhor amigo, imagine se eu me mudasse ara o quarto dela, então resolvi permanecer no de hóspedes que foi redecorado para mim. Matriculei-me na escola de Forks, e era da mesma turma que Jasper, porém em algumas aulas, nos separávamos. Era divertido ficar na companhia dos meus primos, sempre foram muito carinhosos comigo, tanto Rose quanto Jasper, ficaram ao meu lado nesse tempo de “trevas”.
Já estava a caminho do colégio, seria o segundo dia do primeiro bimestre. Pessoas novas, e que nunca falavam comigo. Não tinha mudado muito enquanto a seletividade das pessoas em relação a mim. Então em questão de colégio eu permaneci na mesma. Já tinha falado com Leah, que ficou preocupada com meu sumiço, expliquei para ela de um modo menos assustador, incrementando mentiras no meio. Ela era realmente uma boa amiga, e seria se mais tempo ficasse com ela, porém o destino mudou meu rumo. Rose estava dirigindo enquanto Jasper estava ao seu lado e eu atrás na companhia de Edward que mexia em meus dedos. Ele se esticou e falou em meu ouvido:
-Que tal, hoje abrir o livro mágico? – Disse ele suavemente, me fazendo sorrir. Mexi minha boca num “sério?” silencioso e ele concordou sorrindo abertamente, concordei com ele e fiquei sorrindo que nem uma idiota, Rosalie percebeu.
-Tão animada Bella! – Disse ela me olhando pelo retrovisor – É bom te ver assim. - Sorri em resposta.
-Jasper minha primeira aula será com você? – Perguntei e ele vasculhou a bolsa em busca de seu horário.
-Minha primeira aula é biologia, a sua é qual? – Perguntou ele se virando para me olhar.
-AH! É diferente, tenho matemática agora – Eu disse desanimada, seria bom ficar com alguém conhecido na aula.
-E eu sou desconhecido? – Perguntou Edward. Infelizmente Edward agora além de ser o único quem posso ver, agora também podia entrar na minha mente, quando eu falava “alto” em meu universo particular. Fingi pegar algo debaixo do banco do carro.
-Você entendeu engraçadinho... – Eu disse e quando levantei tínhamos chegado ao colégio. Tomamos cada um nosso rumo, e eu tinha chegado cedo demais, não tinha ninguém na sala. Já perto do horário, chegavam as garotas populares, os nerds, e os grupinhos, eu como sempre ficava sozinha, já que a turma era dividida em duplas. Abaixei-me para pegar meu material e quando volto um garoto novo chegou à turma.
-Crianças, esse é Damen Auguste, nosso novo companheiro de classe – Disse o professor apoiando a mão sobre o ombro de Damen que era realmente encantador. Tinha uma pele meio morena, alto, os cabelos eram meio grandes chegavam acima, um pouco da orelha, mas era desgrenhado. E seus olhos eram uma mistura desconhecida de castanho chocolate, como se fosse outra cor. Fiquei hipnotizada, a não ser por Edward que deu um pigarro e me fez olhar pra ele, que estava sério e com os braços cruzados sobre o peito. Revirei os olhos para ele. – Enfim, Damen seja bem-vindo e sua dupla será a garota Isabella, logo ali – Arregalei os olhos. Damen seria minha dupla, e assim que o professor apontou para o lugar vago ao meu lado, Damen soltou uma risada e concordou, andando graciosamente até a mesa onde eu estava.
-Oi – Disse ele – Como você sabe sou Damen. Damen Auguste – Disse ele estendendo a mão para mim. Fiquei com medo de mostrar meu nervosismo. Agora Edward estava atrás de Damen me encarando incrédulo, por um momento sua face revelava raiva, e algo que não consegui identificar. Peguei a mão de Damen e a apertei.
-Prazer, sou Isabella Swan – Eu disse sorrindo e ele retribuio.
-Você é daqui de Forks mesmo? – Perguntou ele me encarando, ainda com um sorriso nos lábios.
-Ah não, sou de Seattle, mas me mudei há alguns anos para Forks, pelo visto você é novato também pela cidade? – Perguntei rabiscando no caderno, tentando não encontrar seus olhos.
-É, eu sou originário da Flórida – Disse ele rindo mais ainda – Novato em todos os aspectos por aqui. Importa-se de dizer sua idade? Dizem que é falta de educação, perguntar para uma dama sua idade, se não quiser responder tudo bem.
-Isso é besteira. Tenho catorze, quer dizer farei catorze daqui a três dias – Eu disse se graça.
-Eu tenho catorze, já feitos – Disse ele sorrindo e tive que acompanha-lo. Olhei para o lado e Edward não estava feliz pela minha amizade com Damen. Aproveitei que Damen estava prestando atenção na aula e escrevi numa folha solta de meu caderno “O que houve?” e inclinei-a para onde Edward estava ele olhou com desdém e deu uma olhadela para Damen. Balancei a cabeça, e escrevi novamente “Por isso essa cara emburrada?”. Ele confirmou, sem dizer uma única palavra. “Vai me dar um gelo?” Escrevi novamente, e ele ainda sério virou a cara e o simples feixe de luz, sumiu de minha vista, ele tinha se irritado, mas o motivo era tão besta. Ele pensava que eu o trocaria? Em casa terei que conversar com ele. Despois dessa aula, tivemos mais três, eu e Damen sempre conversávamos, onde morávamos aqui em Forks, e no intervalo do almoço, quando todos saíram fiquei na sala, Jasper viria me buscar para irmos ao refeitório.
-Você não vai? – Perguntou Damen
-Vou esperar meu primo ele sempre vem – E quando acabei de falar Jasper apareceu pela porta me chamando. Fomos separados de Damen que seguia a frente.
-Quem é ele? – Perguntou Jasper segurando possessivamente meu braço. Considerávamo-nos irmãos, e Jasper era um irmão ciumento.
-Jasper, é só meu amigo. Não queira dar um ataque de ciúmes – Já basta Edward, acrescentei mentalmente.
-Você é minha irmã, tenho que te proteger dos marmanjos aproveitadores – Disse ele e gargalhei.
-Poupe-me Jasper – Eu disse ainda sorrindo, e ele sorriu também – Onde está a Rose? – Eu disse quando pegamos nosso almoço e fomos para a mesa.
-Está na sala com as amigas organizando a festa que terá hoje, você vai? – Perguntou ele me olhando.
-Não. Você sabe que não sou fã de festas e essas coisas, vou ficar em casa, descansar um pouco – Eu disse. Eu também precisava ficar com Edward estava com saudades de sua companhia e conversar seriamente com ele.
-Vamos Bella vai ser legal, todo mundo do colégio vai até os novatos – Disse ele olhando para Damen.
-Ele vai? – Perguntei curiosa – Mesmo assim não vou, prefiro ficar em casa.
-Com papai? Por que mamãe foi para Seattle e só volta amanhã pela manhã – Disse ele sentando-se à mesa.
-Vou ficar em meu quarto Jasper. Tio Carlisle não irá me incomodar. Vá você e a Rose eu ficarei bem em casa – Eu disse, colocando um ponto final naquela conversa. Estava distraída comendo, quando alguém fica em pé ao meu lado.
-Posso sentar com você? – Disse Damen já passando sua perna pela cadeira.
-Sem problemas – Disse Jasper me olhando.
-É. Tudo bem – Eu disse sorrindo e ele sentou-se ao meu lado, tocando naquele assunto.
-Vocês irão para a festa que terá hoje? – Perguntou Damen concentrado em mim.
-Claro, minha irmã que está organizando, mas Bella está hesitando em ir – Disse meu primo chato e insistente.
-Vamos Bella, será divertido, e você é a única que mais conheço por aqui.
-Não é verdade, tem agora o Jasper -Eu disse olhando para Jasper e para Damen – Você pode muito bem ficar na companhia dele. Não quero ser grossa nem nada, mas não quero ir a essa festa e se vocês ficarem insistindo só ficarei ainda mais irritada – Falei alterada, e eles dois se entreolharam com um certo pesar no olhar. Voltei a comer silenciosamente enquanto eles combinavam onde se encontrar para a festa. O sinal tocou e voltamos para a aula, essa próxima eu teria com Jasper, porém Damen se deslocaria para outra.
Foi um dia cansativo, e Edward não voltou a aparecer. Ele tinha ficado mesmo chateado. Ao termino das aulas, já era tardezinha e todos estavam eufóricos para a festa, fui direto para o estacionamento onde Jasper e Rosalie já me esperavam. Fomos em silêncio para casa, eu não estava para conversas. Tinha ficado chateada com o comportamento de Edward, sua atitude foi desnecessária, eu já não era mais uma menininha besta. Chegamos em casa e tio Carlisle estava no jardim esperando a gente, Rose desceu logo do carro e foi abraçar o pai.
-Pai! Não foi trabalhar hoje? – Eles dois eram muito ligados, assim como Jasper era com Esme.
-Voltei mais cedo, vou levar vocês para a tal festa – Disse ele sorrindo para mim, e sorri amarelo. – Você vai Bella?
-Não tio. Vou ficar aqui em casa mesmo – Eu disse já passando por ele e dando um beijo em sua bochecha – Vou pro quarto. Rosalie quando vocês forem embora, me avisa tá? – Eu disse e passei por eles, que ficaram sem entender minha atitude.
Fechei a porta do quarto e escorreguei pela porta, abraçando minhas pernas. De repente senti um frio, uma agonia dentro de mim.
-Edward? – Falei pro nada ainda de cabeça baixa – Por favor, apareça – Normalmente eu não o chamava mais de duas vezes. – Edward! – Eu disse agora mais sonoro, mas nada, nenhuma luz. Nada. Duas batidas na porta me assustaram. Levantei-me e abri a porta, era Rosalie.
-O que aconteceu Bella? Você está tão desanimada, foi alguma coisa com aquelas garotas? É isso? – Perguntou ela me abraçando.
-Não é nada Rose, é só que preciso ficar um pouco sozinha – Eu disse ainda abraçada a ela.
-Vamos sair assim você espanta essa desanimação. Olha foi até rápido – Disse ela me afastando e mostrando seu lindo vestido azul tubinho. – Só falta maquiar, você pode vir com a gente. Vamos – Disse ela fazendo uma cara de pidona.
-Sinto muito, mas não estou mesmo com vontade de ir. Deixa-me ficar aqui. – Eu disse e sentei na cama.
-Ok então. Senhora Desanimação. A gente já vai, vou deixar pra me maquiar lá na casa – Disse ela me dando um beijo na testa e saiu do quarto. Agora sim eu estava completamente sozinha naquela casa, Carlisle quando chegasse não iria me incomodar, ele sabia que eu precisava de espaço. Tirei minhas roupas e fui tomar banho. Um banho demorado e relaxante assim tirando o medo e estresse do dia. Damen tinha mexido comigo de uma maneira diferente, ele era tão lindo e não sei mais o que... Tirei-o dos pensamentos e saí do banho, trocando logo de roupa, indo para o quarto me deparo com a figura branca estática sentada em minha cama.
-Oi – Eu disse gentilmente – Por que não veio quando chamei? – Eu perguntei enxugando os cabelos e jogando a toalha na cadeira, indo ao seu encontro. Ele deu de ombros. – Vai me dar um gelo agora? – Perguntei ajoelhando-me em sua frente. Ele novamente deu de ombros – Edward que palhaçada, parece uma criança. Explique-me o que houve hoje, por favor? Você deu um surto, acho que de ciúmes? – Fiz uma pergunta para ele, mas acho que serviu para mim também.
-Não foi ciúmes – Logo disse ele me encarando – Mas não me senti confortável com ele tão próximo de você, não gosto dele. – Disse ele com cara de mal, e tive que sorrir de sua careta. Aproximei-me dele e peguei suas mãos. Seus olhos encontraram os meus. Eu me sentia inteira com Edward ao meu lado, ele sempre esteve comigo, e hoje era como se um vazio tivesse me tomado.
-Pensou que eu fosse te abandonar? – Eu perguntei olhando em seus olhos, e sua face se retorceu em dor com o pensamento. Ele concordou – Sabe o quanto você é importante para mim? O quanto mais você vale do qualquer outro garoto que eu passe a conhecer? – Perguntei novamente e ele negou – Muito mais Edward, foi você que me ofereceu ajuda, que me ajudou nos momentos mais difíceis, nos mais dolorosos, então sempre será você que ficará comigo, esqueceu que você é meu protetor? – Eu disse sorrindo e pela primeira vez ele sorriu naquela noite.
-Confesso que pela primeira vez tive medo – Disse ele agora segurando minhas mãos.
-Pois não precisava, afinal de contas a algum momento terei um namorado, certo? – Acho que ele não gostou disso, sua cara se fechou novamente – Calma Edward, estou falando a verdade – Eu disse, mas ele ignorou – Já sei. Esqueça essa história de namorados e vamos meditar – Eu disse pegando em sua mão, e o levando para o chão, ele sentou e logo, cruzou as pernas, fechando os olhos. E vendo ele daquela forma, eu o vi de outra maneira, não mais como meu protetor, me único amigo. O vi como um garoto, mas não um qualquer, aquele eu conhecia e muito bem. Ele permanecia de olhos fechados, me agachei em sua frente e aproximei meu rosto do seu. Não sei o que me levou a fazer aquilo, ele já devia ter feito isso, sei lá. Eu ainda não. Fechei também meus olhos, agora aproximando meus lábios dos seus, e em um leve, e suave toque, minha boca encostou-se à de Edward, parecia tão real. Ele era real, para mim. Mas logo ele se afastou.
-Bella – Disse ele me olhando.
-Desculpe-me não sei o que deu em mim, eu juro. Me perdoe – Eu disse desesperada ainda sentada no chão, agora abraçando minha pernas e colocando a cabeça sobre os joelhos.
-Eu não posso. Não sou real para você.
-Claro que é, para mim você é real – Eu disse me levantando e ficando em sua frente. – Eu posso sentir sua pele, seu calor sob minhas mãos, então para mim, você existe, é real, não é só um anjo – Eu disse tocando em seu braço.
-Isso é errado – Disse ele fechando os olhos. Encostei-me nele, e sua cabeça ficou na altura da minha, nossas testas se tocando. – Isso pode me ferir e ferir a você.
-Não quero saber, sei que com você me sinto bem melhor – Eu disse levantando sua cabeça, e fazendo-o olhar em meus olhos. Agora, ele que investiu, e nossos lábios se tocaram novamente, de uma forma bem mais carinhosa. Movia-se de forma conjunta, mas logo ele parou.
-Vem, vamos conversar, afinal prometi a você o livro certo? – Disse ele se afastando de mim e sentando na cama, fazendo-me ficar estática em sua frente. Sorri e ele sorriu em resposta para mim.
-Fugindo de mim? – Eu disse sentando em sua frente, ele sorriu e balançou a cabeça – Sabe, acho que não sei, foi diferente...
-Diferente? Você já tinha feito isso antes? – Perguntou ele, suas sobrancelhas se juntando.
-Não Edward. – Eu disse sorrindo – Mas, mudando de assunto, onde está meu livro? – Perguntei empurrando e fazendo-o deitar na cama.
-Está bem aqui – Disse ele puxando o grande livro, com capa de couro debaixo da cama.
- Quanto tempo – Eu disse pegando-o de suas mãos – O que vamos ver hoje, hein? – Eu disse abrindo sua página e olhando para Edward que me encarava.
-Nem me olhe assim, é você quem sabe – Disse ele sorrindo. Fechei meus olhos e deixei a mente vagar, sem pensar em algo concreto e quando abri meus olhos a surpresa, Edward me encarava sério, com um olhar mal – É nisso que você está pensando? – Perguntou ele irônico. Olhei para o livro e me assustei. Eram fotos de Damen que estavam estampadas nas páginas, e quanto mais eu as passava, mais foto dele as ocupava – Vou embora, pelo jeito não posso fazer muita coisa por aqui, fique com o Damen.
-Não Edward! Fica, por favor – Eu disse segurando seu braço e ele me encarou – Não sei o que aconteceu comigo, fica eu te peço.
-Também não sei o que está acontecendo com você – Disse ele e seu feixe de luz, apoderou-se do quarto. Ele se foi e me deixou ali, no mar de minhas de minhas dúvidas.




... Por Lucy