Capítulo 11 Innocence - Flecha errada. Garoto errado

9 de agosto de 2011


ALÔÔ GENTE!!! Espero que estejam toooodas bem, porque hoje o capítulo é de arrancar o hair! HAHAcalma pessoal, tempestades tem que fazer parte!! AHABeijão para você e uma ótima leitura!AAAA e quem quiser me add no msn: annayucy@hotmail.come o twitter é : @Lucyannakr:*

Edward estava demorando, até demais. Pensei que ele tinha dito que Alice estava pelas redondezas, em Forks. Sentei impaciente na cama, olhando para os lados, e de repente uma luz bem forte, transparece em meu quarto.
-Tá Edward, eu já estou aqui! – Disse uma voz finíssima e uma figura pequena apareceu no quarto ao lado de Edward. Levantei-me e fui até eles. – Ah você deve ser a Belle – Disse ela sorrindo para mim.
-É Bella Alice, Bella e não Belle – Disse ele revirando os olhos para a irmã.
-Creio que a Belle não se importa, digo... Bella, eu sou meio atrapalhada sabe, são tantos nomes em minha pequena cabeça – Disse ela largando seu arco e flecha no chão de meu quarto, parecido com o mundo dos desenhos animados, na ponta das flechas de Alice tinham pequenos corações – Edward fala muito de você – Disse ela sentando-se em minha cama, e deixando Edward e eu em pé, admirando-a. Ela era uma figura mínima, alguns centímetros menor que eu, mas mesmo assim eu parecia uma gigante ao seu lado. Ela estava trajada com saia cintura alta rosa escuro, com uma blusa branca, por dentro, e sapatilhas vermelhas, nas quais estavam bem gastadas.
-Enfim, ele também me fala muito de você. Disse que você é uma anja-cupido, é isso mesmo? – Perguntei sentando ao seu lado, Edward permaneceu em pé, nos olhando.
-É isso mesmo. Minha função é ajudar aqueles que precisam do amor, de... Vamos dizer um empurrão para a pessoa certa. – Disse ela sorrindo e fingindo empurrar o nada.
-E quem você pretendia empurrar Alice? – Perguntou Edward sentando ao meu lado – Podemos saber? – Ele fez uma cara interrogativa e sua irmã fez uma careta.
-Você é um curioso sabia? – Disse ela sorrindo – Mas eu vou contar, por causa da Belle. – Disse ela sorrindo para mim e Edward fez um movimento negativo com a cabeça – Ajudei um garoto, que estava precisando, ele gosta de uma menina chamada Bella, se não me engano... – Edward ficou tenso ao meu lado, olhei para ele e seus olhos estavam desfocados. Toquei sua mão, tentando de alguma forma trazê-lo para a realidade.
-Edward – Eu disse agora colocando minhas duas mãos em seu rosto e fazendo-o olhar para mim – O que foi? Você ficou tenso, de uma hora para outra.
-Alice, qual o nome desse garoto? – Perguntou ele, agora passando sua mão por minha cintura, abraçando-me.
-Hm, me deixa ver – Disse ela abrindo a pequena bolsa que vinha em seus ombros e de lá, tirou um pedacinho de papel, percorreu sua vista por ele e apontou para o nome – O nome dele, é... Damen. É, isso Damen Auguste e Isabella, Bella. Não sei o sobrenome dela. – Quando Alice falou meu nome e o de Damen na mesma frase Edward não aguentou.
-Como você pode fazer isso Alice? – Disse ele ficando vermelho novamente, eu tinha medo desses ataques dele.
-Calma Edward, por favor, se acalma. Não gosto quando você fica assim.
-Tenho que ir Edward, a gente conversa depois – Disse ela levantando-se pegando suas coisas, e seu feixe rosado de luz sumiu, iluminando meu quarto.
-Não adianta você ficar assim, que eu saiba ela fez com que ele se apaixone por mim, e não eu por ele – Eu disse sentada, agora ele estava de costas para mim em pé, em minha frente.
-Você não sabe como funciona isso. As pessoas atingidas pela flecha do cupido tem grande influência sobre aquelas pessoas na qual estão apaixonadas, só as fazem ver o caminho certo, creio que é questão de tempo, para você se apaixonar por ele.
-Isso nunca. Eu... Não gosto dele, e não tem chances de eu gostar. Eu gosto de você. – Eu disse me levantando e ficando em sua frente. – De você Edward.
-Mas não podemos ficar juntos, não pertencemos ao mesmo lugar, somo muito diferentes.
-Eu não acho. Edward por favor, não tem chances de eu ficar com Damen, tanto tempo com você... – Eu disse agora, abraçando-o.
-Então é melhor eu ir, e deixar você ficar com ele. Não posso interromper o curso natural das coisas. O certo é você gostar de alguém como ele, do mesmo plano que o seu. Não de mim, que nem do terrestre sou... – Coloquei um dedo em seus lábios silenciando-o, e encarando seus olhos.
-Não começa com isso. Enquanto estiver aqui, sempre vou amar você. Enquanto você tentar mudar isso, só vai me magoar, é isso que você quer? Ver-me magoada?
-Nunca. Mas Bella, isso é errado não pode. Eu não podia ter me deixado levar pelo seu beijo, eu não podia ter aceitado. Sou seu protetor, não posso fazer isso.
-Tudo bem. Faça como achar melhor, mas saiba, me escute bem: Eu nunca vou deixar de amar você. Isso nunca vai acontecer, pode passar anos, você vai ficar na minha mente. E digo isso não para você se sentir culpado, mas é verdade. Vai ficar aqui – Eu disse colocando sua mão em cima do meu coração, e depois me separando dele, ficando de costas para o mesmo. – Agora se quiser ir, pode ir embora. Mas por favor, esquece essa história de proteção, de protetor. Não quero outro ocupando o lugar que era para ser seu.
-Bella – Disse ele se aproximando – Você está entendendo as coisas erradas.
-Pelo meu ver, tudo está claro demais. Você está desistindo de mim. Jogando-me para o Damen. Como você disse é questão de tempo para eu me apaixonar por ele. Sabe o que vou fazer? Não vou ignorar as investidas dele, já que é o que você quer. – Eu disse agora me virando para encará-lo.
-Isso é mentira. Não posso acreditar no que está falando – Disse ele. Sua face estava retorcida em dor e descrença. – Quero que você fale olhando para os olhos que você não me quer aqui. Quero que você fale na minha cara que irá se deixar apaixonar pelo Damen.
Doeu aquele momento não era para estar acontecendo. Eu tinha me prometido nunca mais brigar com Edward. Nunca mais colocar a confiança dele em jogo. Mas ali era o que ele estava pedindo, e o que ele tinha me dito, magoou profundamente.
-É isso que você ouviu – Eu disse olhando em seus olhos, mas não pude deixar escapar uma lágrima. Ela escorreu por meu rosto, e parecia queimar minha face, deformar o meu rosto. Era como um ácido sendo derramado em mim. – Vou me deixar apaixonar por Damen, e como você não me quer, eu também não te quero Edward. É o fim – Eu disse a voz travando no final, preferia que me atirassem pedras, a ter que dizer aquilo, mas era eu acho e na naquele momento o certo a se fazer.
-Tudo bem – Disse ele o rosto desfalecido, tristonho – Eu vou indo. Mas nunca vou te abandonar completamente. Adeus Bella. – Tornou a dizer e seu feixe claro de luz, dominou meu quarto, me deixando sozinha, e agora em profunda escuridão. Caí desolada na cama, e transformei meu corpo em uma bola ambulante, lágrimas não paravam de escorrer, os ácidos me queimando novamente, fazendo minha dor interna se tornar externa e dominar minha mente e meu físico.
-Edward – Gemi, querendo tê-lo comigo novamente. Arrependida de minhas palavras. Mas foi dito e feito, e infelizmente não inventaram a fórmula para voltar ao tempo. E como há quase quatro anos atrás, eu queria que tudo isso fosse apenas um sonho, no qual eu iria acordar, e tudo, exatamente tudo, iria voltar ao normal.
   ***

Meu aniversário passou. Nunca me senti mais infeliz em toda minha vida, nunca me senti mais só. Rosalie e Jasper tinham feito uma pequena comemoração surpresa para mim, e para a minha própria surpresa Damen estava lá, e me deu um buquê de tulipas brancas com manchas vermelhas, lindas, mas nada comparado ao que Edward poderia me dar. Eu não sabia exatamente, mas com certeza, só a presença dele novamente me faria mais feliz. Contei a Tio Carlisle e a tia Esme o que papai tinha me dito, e eles disseram que no dia em que eles estivessem aqui, nós iriamos à noite para La Push, uma pequena reserva perto da praia, onde a irmã de tia Esme morava.
Não manifestei nenhuma felicidade, nem tristeza, na surpresa que me prepararam, mas fiquei agradecida, por que desde a morte de mamãe que não tinha uma festa. Jasper tentava me animar, perguntava a todo tempo o que eu tinha, mas eu não conseguia me expressar e dizia que era só a lembrança da mamãe retornando em minha mente.
Já estávamos de malas prontas para a mínima viagem, passaríamos apenas dois dias na reserva. Eu estava sentada no sofá esperando o comando para irmos, todos ainda se arrumavam, quando Jasper desceu as escadas correndo ao meu encontro.
-Bella, Bellita! – Gritou ele correndo pela sala e se jogando ao meu lado no sofá. Fiz a cara mais animada possível e olhei para ele, incentivando-o a continuar – Você não sabe!
-Se você contar, eu ficarei sabendo Jasper – Eu disse seca.
-Ai Bella, tira esse humor-negro do corpo, você está se tornando uma chata – Disse ele fazendo uma careta para mim – Porém, você voltará mais animada depois dessa viagem porque uma pessoa irá conosco – Disse ele animado e me deixando curiosa.
-Quem é Jazz? – Eu perguntei sentando-me no sofá agora de frente para ele.
-Damen – Disse ele, e meus olhos se arregalaram. Mais uma incrível oportunidade para ele se aproximar de mim.