Innocence - Capítulo X

4 de agosto de 2011




Gente, aqui está o décimo capítulo de Innocence, e quem nunca leu, e deu vontade agora de acompanhar, é só ir la barrinha do lado esquerdo do blog, na caixinha de marcadores, e clicar em fanfic, lá estarão todos os capítulos anteriores. Quem gostar, dá um comentário lindo :) Beijos e até o próximo!

Capítulo Dez – Volta

Despois daquele terrível e reveladora noite, dormi. Um sono leve, com vários sonhos estranhos, pesadelos e coisas que não em recordo bem. Mas uma coisa eu me lembrava bem. Tinha beijado Edward. Foi, algo, mágico para mim, beijar meu melhor amigo, mas também me lembro do livro mágico e das fotos de Damen, e Edward indo embora. Acordei indisposta, não iria para o colégio. Olhei para o relógio e já era hora de ir. Três fortes batidas em minha porta me fizeram despertar rapidamente.

-Bella! – Disse Rosalie já pronta e visivelmente irritada – Ainda de pijama, vamos perder a primeira aula, daqui que você se arrume – Disse ela.

-Não vou hoje Rosalie – Disse sentando na cama – Não estou me sentindo bem, vou ficar em casa. – Disse, e ela me olhou com pena, se aproximando de mim.

-O que você tem? Está assim desde ontem a tarde, estou preocupada – Disse ela passando sua mão em meu rosto.

-É só um mal estar. Vou ficar bem. Vá antes que se atrase – Eu disse dando batidinhas em sua perna. Ela se levantou e quando estava já perto da porta se virou para me encarar.

-Papai já foi trabalhar, mamãe chega provavelmente a noite, e Sue está de folga hoje. Tem algumas coisas na cozinha, você se vira. Se precisar, tem remédio no meu quarto, fica bem tá? – Disse ela e mandei um beijo quando ela fechou a porta. Assim que eles saíram, fui à cozinha pegar algo para comer e beber. Depois de alimentada fui para o quarto. E deitei na cama, com a barriga pra cima. Fechei os olhos.

-Edward, por favor não me abandona. Eu te peço. Pensa em todos os momentos em que você me ajudou, nos momentos alegres em que passamos, no nosso beijo ontem... – Eu disse com a voz falhando, lágrimas já caiam de meus olhos, e rolavam em meu rosto.

-Nunca vou te abandonar – Disse a voz que eu precisava escutar. Levantei rapidamente, sorrindo e limpando minhas lágrimas.

-Pensei que iria me abandonar – Eu disse me levantando da cama e ficando em sua frente. Ele não se moveu. Fiquei encarando-o ainda limpando minhas lágrimas – Perdoe-me por ontem, não controlei meus pensamentos, peço que desculpe-me, não posso ficar sem sua companhia.

-Pensei que ficaria bem com o Damen – Disse ele sério. Ele realmente está com raiva do Damen, agora o motivo eu desconhecia.

-O que ele te fez para você ficar assim? Ele é só meu amigo, na verdade, nem meu amigo ele é, é só um colega afinal, conheci ele ontem...

-E ele já se apoderou de sua mente – Disse ele, a voz dura – Bella, sinceramente, eu sabia que isso um dia chegaria a acontecer, mas não pensei que fosse tão cedo.

-O que? – Perguntei sem entender, ainda olhando para ele. De frente para ele, parada esperando uma resposta. – Me fala, o que você não esperava.

-Que você fosse se apaixonar. Eu não posso, e quero mandar em você, não posso fazer isso, você tem sua vida, e eu só quero te atrapalhar, não vou mais me meter, preciso te deixar em paz, acho que você terá outro protetor.

-NÃO! VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO COMIGO – Eu gritei batendo em seu peito. Ele segurou meus punhos me impedindo – Edward, por favor, não faz isso – Eu disse caindo derrotada no chão, me encolhendo, caindo sob os pés dele. – Eu não irei aceitar que você vá embora, e mande outro no seu lugar – Eu disse olhando para cima, e encontrei seus olhos me encarando - Esses quatro anos de nada significaram para você? É isso, passaram só de mais alguns tempos cuidando de uma adolescente excluída, feia e retraída da sociedade, que ainda tem um pai problemático... É isso, não importo para você, essa é a verdade. ME RESPODE! SIGNIFICO ALGO PARA VOCÊ? – Gritei novamente chorando e soluçando. Edward se agachou em minha frente e segurou meu rosto para que eu não desviasse meu olhar do seu. Ele estava sério, e seu aperto, estava ficando forte, mas ele afrouxou.

-Você ainda pergunta se significa algo para mim Isabella? – Disse ele – Eu só existo para você, passei quatro anos com você, te protegi de várias coisas, fiquei contigo nas horas mais difíceis, isso não é prova o bastante para provar que você realmente importa para mim? – Perguntou ele e concordei levemente com a cabeça – Não sei o que deu em mim, mas sinto medo, muito medo de te perder, por que eu sei que não irei suportar, e que meu momento de cair se aproxima – Disse ele agora sentando em minha frente.

-Você não me explicou o porquê de cair – Eu disse e ele estendeu sua mão para mim. Sorri e a peguei. Apoiei minha cabeça em seu colo e fiquei observando ele falar. Era incrível nosso poder de brigar e reconciliar tão facilmente. – Vai me explicar?

-Vou. Mas acho que não é preciso agora, posso explicar outro dia? – Disse ele com uma cara confusa.

-Por que não hoje? Agora? – Eu disse me levantando e sentando em seu colo.

-É complicado, deixa isso para depois certo? – Disse ele sorrindo – Agora me diga, por que não foi para o colégio? – Às vezes ele agia como se fosse meu pai. Sorri e o abracei, ele retribuiu o abraço me apertando contra seu peito.

-Estava com medo de não te ver mais. Fiquei mal com o que aconteceu ontem a noite. Queria fazer as pazes com você, queria que estivesse tudo bem, para eu poder voltar a minha rotina – Eu disse sorrindo e o telefone de casa tocou – Droga - Eu disse saindo de seu colo e correndo para a sala, Edward veio logo atrás de mim. – Alô? – Perguntei pegando o telefone

-Isabella? – Perguntou a voz que eu nunca mais tinha escutado.

-Pai? – Perguntei sorrindo – Pai como você está? Tudo bem? Ai, que saudades pai, tanto tempo que a gente não se fala – Eu disse, e uma lágrima rolou por meu rosto. Edward logo a limpou.

-Calma Bella, eu estou bem, mas com problemas – Disse ele, era só o que faltava...

-O que aconteceu? – Perguntei alarmada – Fizeram algum mal a você?

-Não é nada disso, preciso que você avise a Carlisle que amanhã, Sam, eu e Paul vamos a Forks e passaremos no mínimo três dias, não quero você na cidade, eles querem uma coisinha para me atiçar, avise a ele, por favor, não sei do que seria capaz se eles fizessem algum mal a você – Disse ele com uma voz preocupada.

-Aviso sim pai – Disse a ele – Mas como você tá? – Perguntei e ele sorriu.

-Estou bem filha, da melhor maneira possível. Se não voltarmos a nos falar, parabéns, seu aniversário é amanhã. Catorze anos, queria poder te dar um abraço, e dizer o quanto te amo filha. – Mais lágrimas caíram de meus olhos.

-Eu te amo pai, isso nunca vai mudar – Eu disse soluçando.

-Não chora Bella, eu sei que você está protegida – Disse ele e olhei para Edward que sorria para mim.

-Eu sei pai, tenho meu anjinho da guarda.

-E ele nunca falhará – Disse Charlie, e escutei um barulho forte. – Tenho que desligar Bella, não se esqueça de avisar Carlisle, eu te amo – E antes de poder responder, o telefone ficou mudo, caí no chão e as lágrimas começaram a cair.

-Eu tenho medo Edward. Medo do que eles podem estar fazendo contra meu pai. – Eu disse encolhida no chão, e Edward me abraçou, reconfortando-me.

-Está tudo bem não se preocupe. Seu pai, só faz o trabalho, ele parou nas drogas, na bebida, depois que ele te perdeu, ele ficou arrasado, com medo, sem fé, mas agora, ele está tirando forças – Disse Edward levantando meu rosto e limpando a lágrima que escorria com seu polegar – Estou aqui com você, e nada, absolutamente nada vai te acontecer.

-Eu te amo Edward – Disse olhando em seus olhos, e sua expressão ficou diferente, como se estivesses extasiado – Como se você fosse um ponto no qual me fixo. Acho que se eu não tivesse você ao meu lado, eu não suportaria nada – Eu disse olhando em seus olhos e aproximei meu rosto do seu, ele tentou desviar, porém peguei em seu rosto e o fiz ficar de frente para mim, assim tocando levemente nossos lábios, em um beijo calmo e sereno. – Fica comigo hoje? – Perguntei e ele me abraçou.

-Não saio do seu lado – Disse ele se levantando e pegando minha mão para ajudar. Fomos para a sala de televisão, e ficamos a assistir um filme de terror, os preferidos de Edward, os mais aterrorizantes para mim. – Sempre gostei desse filme – Disse ele sorrindo, ao ver o zumbi comer a cabeça de um frágil humano.

-Ai que nojo – Eu disse me encolhendo em seu peito, escondendo minha visão daquela horrenda cena. – Muda o filme – Eu disse abraçada a ele, e ele negou com a cabeça – Você assistia a filmes onde você morava, ou mora?

-Às vezes. – Disse ele concentrado, mas algo o fez ficar alarmado e despertar. Ajeitou-se e me fez ficar encarando-o – Tinha me esquecido. Alice disse que estaria por essas redondezas, na verdade, em Forks, disse ela que tinha uma missão. Então finalmente vocês poderão se conhecer – Disse ele sorrindo para mim, me suspendi e dei um beijo em sua bochecha.

-Finalmente – Eu disse sorrindo ainda abraçada a ele – Estou com sono, não dormi direito essa noite. Culpa sua – Eu disse dando um toque em seu nariz.

-Minha? Você quase me fez ter um ataque, quando vi as fotos daquele ser – Disse ele fazendo cara de nojo ao recordar de Damen.

-Não começa – Eu disse, e a campainha tocou - Quem será a essa hora? Rosalie e Jasper saíram quase agora praticamente.

-Não acredito nisso – Disse Edward ficando emburrado no sofá, virei-me para ele e o encarei.

-Quem é Edward? – Eu perguntei encarando-o.

-Não quer dá um palpite? – Perguntou ele sarcástico. Ignorei seu olhar em minhas costas e fui atender a porta, quando abri me surpreendi. Era Damen.

-Oi Bella – Disse ele meio sem graça, ele era realmente lindo. Estava trajado em uma camisa azul escura polo, e uma calça jeans que se ajustava ao seu corpo, e com uma jaqueta, estilo motoqueiro.

-Damen? Não era para estar na escola? – Perguntei e só depois percebi que ainda estava de pijama, mas o casaco disfarçava então o fechei até a metade.

-E você também não era para estar? – Perguntou ele.

-Entra, por favor – Eu disse e dei espaço para que passasse. Edward se levantou do sofá e se postou ao meu lado.

-Era para você ter mandado ele embora – Disse ele em meu ouvido.

-Não posso fazer isso – Eu disse. Alto demais.

-O que você disse Bella? – Perguntou Damen virando-se para me encarar.

-Nada, perguntei por que você não foi à aula hoje? – Eu disse disfarçando, sentando na poltrona em sua frente.

-Rosalie disse que você não estava bem, então saí e vim ver você, ver se precisava de alguma coisa, é sempre bom ter alguém por perto quando se estiver doente. – Disse ele sorrindo de forma doce, eu estava hipinotizada, porém Edward estava sentado ao lado de Damen e estava prestes a enforca-lo. Eu sabia que Damen não podia ver ele, mas podia sentir se ele fizesse algo que machucasse. Arregalei meus olhos para Edward e pigarreei, ele virou e encontrou meu olhar desesperado e suplicativo.

-Não precisava se incomodar e perder aula, eu estou bem, foi só um mal estar. Coisa de mulher, você pode ir embora já. – Eu disse me levantando.

-Não posso ficar aqui com você? – Perguntou ele ainda sentando pegando em minha mão. Foi um basta para Edward ficar vermelho de raiva, quando digo que ele estava vermelho é por que estava mesmo vermelho.

Edward se acalma, ele não está fazendo nada de mal. Por favor. – Gritei em minha mente e sabia que ele iria escutar.

-Você está usando muito o por favor, e desmerecendo ele Bella – Disse ele com uma voz dolorida, quase amarga.

-Então posso ficar? – Disse Damen, mas eu não prestava atenção, estava vidrada no olhar de Edward.

-Damen é melhor você ir embora, meu tio já chega e não vai gostar de me ver sozinha em casa com você, depois a gente conversa – Eu disse, menti também. Carlisle iria passar o dia fora.

-Tudo bem – Disse ele se levantando e se aproximando demais de mim, virei o rosto e o que era para ter sido um selinho virou um beijo na bochecha. – Vejo você amanhã.

-Não faça mais isso – Eu disse, e ele se virou. Edward ainda avermelhado assistia a tudo ao meu lado.

-Fazer o que? – Disse ele se fazendo, ou não de desentendido.

-Não tente me beijar. Não perca seu tempo comigo, você é bonito demais, não perca seu tempo comigo – Eu disse e Edward pareceu infeliz com meu discurso.

-Você se engana Bella. Se você está querendo se rebaixar, está se enganando. Você é tão bonita, quanto, ou talvez mais aquelas garotas do colégio. Você não é fútil, é a garota perfeita, mas não vou insistir se você não quer. Tchau – Disse ele e saiu pela porta.

-Bom para você? – Eu disse virando-me para Edward para encará-lo, mas de repente fui tomada por uma raiva inesperada e saí em disparada para meu quarto, onde me tranquei inutilmente, por que se ele quisesse entrar, poderia. – Você sabe que está me privando de coisas, que eu necessito. Não posso ser sua protegida para sempre.

-Não te entendo. Hoje mesmo você disse que não suportaria viver sem mim, que... Bella, não quero brigar com você novamente – Disse ele se aproximando de mim, e sentando ao meu lado na cama.

-Também não quero. Por que você não chama a Alice? Queria conhece-la logo – Eu disse sorrindo e ele concordou.

-Tudo bem – Disse ele já se levantando, mas puxei sei braço. Levantei-me e aproximei meus lábios do seus. Em um começo leve, nossas bocas se movimentavam lentamente, em conjunto. Tentei sugar seu lábio inferior e ele soltou um gemido. – É melhor eu ir – Disse ele com sua testa colada a minha. Meu peito subia e descia em passos descontrolados.

-Ok, mas volte com ela – Eu disse e dei mais um selinho em seus lábios, ele sorriu e seu feixe de luz iluminou o quarto.