Innocence - Capítulo 12

21 de agosto de 2011

Para animar esse domingo, que tal um capítulo de Innocence? Então, aqui vai o décimo segundo capítulo para vocês! Deixem suas opiniões nos comentários, beijinhos e até!

Capítulo 12 - Lembranças e realidade

Era isso. Damen iria conosco em nossa viagem. Provavelmente Jasper, tinha dito que queria levar um amigo para conhecer a reserva onde a irmã de tia Esme, a Sue morava.

-Como Jasper? O Damen vai com a gente? – Perguntei perplexa, com cara de idiota para o meu primo que me encarava com uma expressão que só era malícia.

-Vai me dizer que você não vai aproveitar? – Disse ele sorrindo maliciosamente. – Você tem que dar umas bitoquinhas Bella, fica aí toda triste. Deixe o Damen te animar menina.

-Que isso Jasper! – Eu disse surpreendida com a mente muito fértil de meu primo – Damen é só um amigo não tão próximo de mim, só isso.

-Acho que ele quer mais que amizade – Disse Jasper sorrindo para mim, quando a campainha tocou e ele foi atender. Provavelmente deveria ser Damen. Rosalie já descia com suas duas enormes malas, as escadas.

-Para que isso tudo Rose? São apenas dois dias – Eu disse levantando e indo ajuda-la, ela agradeceu e respondeu a minha pergunta.

-Preciso de opções Bella – Disse ela sorrindo – Olá Damen, como vai? – Perguntou ela, Damen que estava parado diante do sofá encarando a nós duas.

-Olá Rose. Oi Bella – Disse ele fixando seu olhar em mim.

-Oi Damen – Eu disse sem graça. Não podia negar, ele era lindo e dono de um charme incrível. Seus cabelos castanhos desarrumados eram extremamente atraentes, e pediam para serem tocados. Seu corpo apesar de jovem, era perfeito para sua idade, era proporcional. Sem contar em seus olhos que eram de um esverdeado impressionante. Nunca tinha reparado em cor de olhos tão impressionantes.

-Vamos crianças – Disse tio Carlisle descendo as escadas juntamente com Tia Esme. Carlisle iria em seu carro com os garotos enquanto eu e Rosalie iríamos com tia Esme. Já que em um carro não caberia todos. O carro com os garotos seguiu em frente, e fomos acompanhando.

Não era uma viagem de horas... Pegamos a estrada principal e depois de creio que meia hora, ou talvez quarenta minutos chegamos à uma pequena reserva, era mais como um condomínio mas não fechado. Logo Carlisle parou o carro de frente a uma casa, simples, mas complexa, tinha uma grande área ao redor e tinha um andar superior.

-Chegamos garotas – Disse Esme parando o carro logo atrás do carro de seu marido, descemos e logo Jasper de Damen vieram ao nosso encontro.

-Vamos à praia? Dizem que linda, apesar de morar aqui nunca vim a First Beach – Disse Jasper. Damen se pôs ao meu lado e com certo anseio segurou minha mão. Assustei-me com o ato, mas deixei, assim deixando ele com o sorriso bobo nos lábios. Avisamos a Esme e a Carlisle que iríamos à praia e eles concordaram, dizendo para tomarmos cuidado. O céu como de costume estava nublado e não tinha cara de que o sol iria aparecer. O percurso até a praia era curto, cerca de cinco minutos depois estávamos lá. Em vez de areia, pedrinhas coloridas ocupavam a orla, um festival de cores, devo confessar que bem interessante, sem contar com os imensos troncos, além de grandes eram grossos, assustadores. De uma beleza incrível penhascos circulavam a praia, tinha muito verde. – Vamos andar um pouco você vão? – Perguntou Jasper olhando para mim e Damen que permanecíamos de mãos dadas. Fiz uma cara de preguiça.

-Vou sentar aqui mesmo. Teremos tempo para passear pela praia. – Eu disse sentando-me, e Damen logo se sentou ao meu lado. Jasper já estava a caminhar com Rosalie, sempre discutindo banalidades. Olhei para Damen – Já tinha vindo aqui antes? – Perguntei colocando inutilmente as mãos entre as pernas, não tinha me vestido para o frio. Ele tirou seu casaco e colocou sobre meus ombros. Sorri agradecendo.

-Não. Nunca estive aqui, mas é lindo. Na verdade, voltei à Forks, já tinha morado aqui antes. Já faz um tempo, quando minha mãe se separou do meu pai, então eles voltaram novamente, e voltei para a Flórida, mas então eles romperam de vez e voltei com ela aqui para Forks, você sempre foi daqui? - Perguntou ele, e minha cara se entristeceu. Eram tantas lembranças. Mamãe, papai, a causa de eu ter vindo para Forks, a ida definitiva de Edward, e agora Damen.

-Não. Como você sabe Esme é minha tia, mas Carlisle não é meu pai. – Eu disse e ele fez uma cara confusa. – Acho que você pode saber, somos amigos certo? – Perguntei encarando aqueles olhos que tanto me fascinavam. Ele concordou segurando minhas mãos, esquentando-as. – Carlisle e Esme são meus tios, Esme é irmão do meu pai que mora em Seattle, ele tem muitos problemas, e por causa desse problemas é que vim morar com meus tios. Minha mãe – Eu falei fracamente, fazendo uma pausa para respirar. – É difícil falar disso, me trás pensamentos bons, mas muito ruins ao mesmo tempo.

-Se não quiser falar, não tem problemas Bella – Disse ele levantando meu rosto para que ele pudesse me encarar. – Não quero forçar você a se machucar. Deve ser horrível para você.

-Mas eu quero contar para você. Não sei, mas parece uma necessidade te contar isso. Acho que, sei lá, você é tão meu... – Ok. Isso tinha ficado estranho – Amigo, que acho que preciso compartilhar com alguém. – Eu e minha mãe tínhamos sido sequestradas em um assalto, isso faz quatro anos, e nesse assalto em minha tamanha burrice – Eu disse, lágrimas escorrendo por meu rosto, bati minhas mãos em minha cabeça – Tentei ligar para meu pai, para ver se ele conseguia tirar a gente daquela situação, mas um dos assaltantes, escutou eu falando no telefone, e parou o carro – Meus olhos já estavam vermelhos, e Damen esfregava suas mãos nas minhas em um ato de conforto.

-Não precisa me contar – Disse ele agora me puxando para um abraço.

-Me deixa terminar – Eu disse ainda abraçado à ele. – Tiraram a gente do carro, e um deles apontou a pistola para mim, mas mamãe foi me defender, e acabou rolando no chão com o cara que estava com a arma, e levou quatro tiros, o mesmo ainda queria me matar, mas foram embora, deixando-me ali, com minha mãe inerte.

-Meus pêsames Bella, deve ter sido doloroso demais para você, passar por isso – Disse ele esfregando minhas costas em consolo, porém ele parou e me afastou pelos ombros para poder ver meu rosto. – Mas não entendo por que essas lembranças te trazem momentos felizes, já que tudo foi uma grande tragédia.

Eu queria falar. Falar que Edward meu anjo, meu amigo imaginário estava comigo depois de todo aquele sofrimento. Que ele me ajudou nos momentos difíceis. Que ele me abraçava, e que foi com ele meu primeiro beijo, mas de repente, parece que a voz dele ecoou em minha mente, como da primeira vez em que ele apareceu para mim: “Mas, você não pode contar a ninguém”. Ninguém podia saber da existência dele.

-Não foi nada, apenas um momento, que prefiro não comentar Damen – Eu disse olhando em seus olhos. – Vamos? Já está ficando tarde. ROSALIE E JASPER VAMOS! – Gritei me levantando e eles vinheram correndo. – Vamos, estou cansada – Menti. Queria mesmo ficar dentro de casa isolada.

-Ai Bella, seu mau humor só anda piorando sabe? – Disse Jasper parecendo irritado comigo e saiu puxando Rose indo na frente.

-Ele está irritado comigo – Eu disse para Damen que segurou minha mão, e voltamos para casa de mãos dadas. Na frente da casa, estavam tia Esme, Carlisle e um casal que pressupus que fosse que a irmã de Esme e seu marido.

-Aqui estão eles – Disse Esme me pegando pelo ombro. – Essa é minha sobrinha Bella. Você não conhece a Sue Bella, por que ela não é irmão do seu pai. Ela é só minha irmã por consideração crescemos juntas, por parte de pai, e eu e seu pai crescemos juntos por parte de mãe. Uma história bem complicada. – Disse ela sorrindo para mim, apertei a mão de Sue, que era uma morena baixinha, com um corpo proporcional. – E esse é seu marido Billy – Apertei também a mão dele.

-Seu namorado? – Perguntou ela acenando com a cabeça para Damen.

-Ah não! Meu amigo – Eu disse e Damen também apertou a mão dos dois.

-Venham vamos mostrar o quarto que vocês irão ficar. Não é nada grandioso, vocês quatro irão dividir o quarto. – No começo Rosalie chiou, conhecia a tia, mas antes dela se mudar para cá. O quarto ficava no mesmo andar, e era enorme. Duas camas de casal cabiam perfeitamente, ainda deixando um grande espaço, e era lá que iríamos dormir. Ainda tinha uma televisão, e um banheiro bastante espaçoso. – Acho que dá para vocês ficarem aqui sem problemas, certo? – Disse ela sorrindo, e já estávamos buscando as malas. Jasper ainda estava com a cara fechada para o meu lado. Peguei minhas coisas e coloquei ao lado da cama de casal onde eu e Rosalie dormiríamos, os garotos dormiriam na outra. Jasper estava sentado na outra cama, enquanto Damen tomava banho, e Rosalie estava ajudando na cozinha.

-Vai ficar com raiva de mim? – Perguntei sem encará-lo, era mais uma pergunta retórica. – Não vejo motivos, Jasper... – Eu disse agora me levantando e sentando ao seu lado, na outra cama. – Me perdoa? Por estar desse jeito, não o que aconteceu, foi espontâneo, me desculpa, não tenho o direito de te magoar, você que sempre está do meu lado, me ajudando, me fazendo feliz – Eu disse me inclinando para poder olhar para seu rosto, dei um sorriso bem aberto e ele teve que sorrir, me deitando na cama e fazendo cosquinhas em mim – TÁ BOM, TÁ BOM EU MEREÇO, MAS JÁ CHEGA – Eu gritei puxando o ar.

-Tudo bem sua boba, mas qualquer coisa, qualquer coisa mesmo, fala comigo tá? Além de seu primo sou seu amigo – Disse ele acariciando meu rosto, peguei sua mão e beijei.

-Obrigada, e pode deixar – Eu disse, mas a porta do banheiro se abriu. Nossa! o que era aquilo? Damen saía de lá, só com a toalha enrolada na cintura.

-Esqueci minha bolsa – Disse ele sem reparar que eu estava ali, em estátua, olhando para ele, e acho também que estava com a boca lá no chão. – Bella você está bem? – Não acredito que ele fez isso, mas veio até mim e se agachou na minha frente. – Alou? Terra chamando Bella.

-Hã? Estou bem, só fiquei meio tonta. – Nesse momento Jasper levantou-se de fininho e já estava saindo do quarto – Jasper aonde você vai?

-Na cozinha – Disse ele sorrindo maliciosamente para mim.

-Vou com você – Levantei-me rapidamente e corri atrás de Jasper dando mais privacidade para Damen se trocar. Quando fechei a porta dei uma bronca em Jazz. – Por que iria me deixar sozinha com ele quase seminu no quarto?

-Nada Bella – Disse ele sorrindo e indo para a cozinha – Você está ficando paranoica.

O jantar foi tranquilo. A Sue era uma mulher fantástica, depois do jantar fomos para a sala e ela contou umas lendas das redondezas, contou também sobre seus filhos o Miles e a Haven que estavam viajando a trabalho, os dois eram jornalistas, e passavam o tempo de festas por aqui. Contou também como conheceu Billy, as brigas em que ele se meteu por causa dela, e isso foi misturando também para a história de tio Carlisle e de tia Esme, que estavam abraçados entre as almofadas em cima do grosso tapete. Como eles se conheceram, todas as confusões com os pais de tia, e afins. Foi muita conversa, eu já tinha apoiado minha cabeça, no ombro de Jasper e meus pés descansavam no colo de Damen. Rose já estava cochilando que nem uma velhinha deitada no colo de Jasper.

-Crianças, acho que já está na hora de dormir – Disse tia Esme e todos nós nos levantamos e fomos para o quarto. Demos boa noite, e seguimos para nossas camas, mas Jasper teve uma péssima ideia.

-Que tal contarmos histórias de terror? Ou assistirmos um filme? – Disse ele, e Damen logo se animou, Rosalie já estava dormindo mesmo, então fui para a cama dos garotos para não incomodar a Rose. E eles colocaram um filme, que por sinal era péssimo. Era mais mentiroso que tudo, e ao em vez de ficar assustada eu e os garotos ríamos, mas o sono estava me vencendo e logo adormeci entre Damen e Jasper, logo vi que Jasper, foi para a cama na qual Rose estava e me deixou com Damen.

Não sei se era sonho. Ou pura realidade. Mas acordei com uma forte luz. Levantei-me lentamente e minha mão estava entrelaçada com a de Damen, soltei-a com cuidado para não acordá-lo. Parece que só eu tinha reparado na forte, luz, assim que sentei, ela sumiu, procurei pelo quarto e vi. Ele. Ele ali, parado junto à porta me olhando. Seu rosto estava retorcido em dor, desespero, ele não estava com uma aparência saudável.

-Edward – Sussurrei, mas ele se virou – Não vai embora, fala comigo, por favor. - Ele virou lentamente e saiu porta afora, levantei-me com cuidado, mas Damen segurou minha mão, o que me fez assustar.

-Aonde você vai? – Falou ele com uma voz sonolenta.

-Vou tomar água. Volto num instante – Eu disse em seu ouvido, e ele soltou minha mão. Fui apressada para o corredor onde Edward estava parado de costas. Abracei-o por trás. Ele sobressaltou-se. – Não some assim, por favor.

-Você que pediu – Disse ele ríspido, a voz rouca. O virei para poder olhar em seus olhos, estavam avermelhados, e manchas escuras ao redor.

-O que aconteceu com você? – Perguntei passando minhas mãos em seu rosto, por seus olhos, por seu cabelo, por seus lábios, ele sentia a tudo com os olhos fechados. – Você não sabe como eu fiquei quando você foi embora Edward. Eu preciso de você do meu lado. – Eu disse puxando sua nuca, para eu poder alcançar seus lábios. Ele queria, mas se afastou.

-Você pediu para eu me afastar, disse que iria ficar com o Damen, e acho que ele já está fisgando você. Eu vi vocês na praia hoje, e sim, eu vi todo seu sofrimento Bella, e como estou hoje, é resultado do quanto sofro por não estar com você. – Puxei sua nuca novamente passando meus dedos por entre seus cabelos, e alcançando seus lábios, os devorei. Nada era melhor do que sentir seus doces lábios sobre os meus, de textura tão macia, tão vulnerável em minhas mãos. Separei meus lábios dos seus, e distribuí beijos por todo seu rosto.

-Fica comigo hoje? – Perguntei para ele, encarando seus olhos.

-E vou deitar entre você e o Damen? Não mesmo – Disse ele e sorri.

-Não bobo, vamos para a sala. – Eu disse puxando-o pelos corredores até chegarmos à sala, estava tudo escuro. Todas as luzes apagadas. Deitei entre as muitas almofadas no tapete, com Edward ao meu lado – Não some mais, por favor.

-Bella, não posso ficar entre você e o Damen, você tem que ficar juntos. Sempre estarei com você, sempre te olhando, mas não posso ficar como antes. Falei com Alice e ela disse que fazer aquilo que ela fez foi necessário, ela não podia deixa-lo em angústia. Apesar de eu preferir que não tivesse voltado para Forks – Disse ele sério – Sempre estarei com você minha linda – Disse ele passando seus dedos carinhosamente por meu rosto. – Agora dorme, você teve um dia cansativo – Disse ele abraçado a mim.

-Posso te fazer uma pergunta? – Eu disse suspendendo-me e olhando para seu rosto, mas antes dei um leve selinho em seus lábios. Ele sorriu com meu ato – Como está papai? Só falei com ele naquele dia.

-Tenho olhado ele alguns dias. Está mais consciente do erro que cometeu, e não para de se punir mentalmente por tudo de errado que fez. Vive indo dormir no seu quarto, tem muitas saudades de você, mas não pode voltar atrás certo?

-Certo. Mas tenho pena dele, mesmo sem querer eu sofro com ele poxa. Ele é meu pai, o único que cuidou de mim, quando mamãe morreu, o que repartiu das mesmas dores comigo.

-Eu sei Bella – Disse ele me abraçando novamente – Mas não esquece, posso não está aqui ao seu lado, você me vendo mas sempre estarei te olhando.

-Não vai agora. Faz igual a quando eu era pequena, espera eu dormir – Eu disse abraçando ele com força.

-Não acha melhor voltar para o quarto? – Perguntou ele

-Não. Não quero ficar entre você e Damen – Eu disse e adormeci novamente agarrada a ele, que eu tanto amava.