Bate papo com Rita Trevisan

3 de outubro de 2011




1 - O período que você trabalhou na atrevida, te ajudou a escrever o livro?
Com certeza. Trabalho para a Atrevida há onze anos e com certeza aproveitei muito as diversas matérias que fiz com psicólogos, sexólogos e especialistas em comportamento. Aprendi muito com eles, inclusive sobre relacionamentos. Além disso, aproveitei as histórias de muitas leitoras com quem tive contato nesse tempo.

2 – Você escreve muito sobre adolescência, como foi a sua?
Ótima! Fui uma adolescente bem típica: fiz muita balada, ralei no colégio, sofri bullying, me diverti com as amigas, me apaixonei mil vezes e levei vários foras, fui a fim do ídolo, do professor de canto e do professor de filosofia... Como toda garota, demorei um tempinho até conseguir construir um romance realmente bacana, capaz de me trazer felicidade plena. Mas um recado às leitoras da Atrê que estão meio desanimadas com os meninos: depois de muita confusão e sofrimento, o meu dia de ser feliz finalmente chegou! Aprendi a me valorizar mais e, a partir daí, os garotos começaram a me olhar com outros olhos. E comecei a me dar bem melhor com eles.

3 – O novo livro da coleção atrevida é sobre namoro, você tem alguma dica especial que não foi mencionada no livro?
Acho que as dicas mais importantes, em relação ao assunto, estão no livro mesmo. Eu reuni tudo o que poderia ser interessante para uma garota que está começando a conhecer os seus sentimentos e a se relacionar, do primeiro beijo à primeira transa. Tá tudo lá!

4 – Quais são seus próximos projetos no mundo editorial?
Vamos lançar mais cinco livros contando as histórias da July e da turma dela. Falaremos mais de amizades, escola, pais, entre outros assuntos que têm a ver com o universo adolescente.

5 – Pretende continuar trabalhando com jovens?
Com certeza. Até morrer!

6 – Já buscou inspiração em alguma amiga ou prima para suas histórias?
Sim, claro. No livro há histórias inspiradas nas minhas experiências, nas experiências de amigas e de leitoras.

7 – Qual é a sua principal dica para quem pretende seguir carreira como escritora?
Ler muito, escrever muito e depois bater na porta das editoras, na cara de pau mesmo. Eu confesso que fiquei uns dois ou três anos elaborando esse primeiro livro e enchendo a paciência dos meus contatos na Editora Escala, que também publica a Atrevida. Felizmente, eles analisaram o primeiro capítulo e curtiram. Agora, estão fazendo um excelente trabalho de divulgação e distribuição do Manual.

8 – Você acredita que os jovens de hoje leem mais em função de que?
Acho que os jovens de hoje têm mais acesso à informação em geral, inclusive aos livros.

9 – Qual foi seu principal sonho quando adolescente?
De verdade? Ser muito feliz no amor! E eu consegui!

10 – E qual é seu principal sonho hoje?
Continuar escrevendo livros para as leitoras que estão passando agora pela fase mais delicada e divertida da vida, a adolescência.

11 – Qual seu livro favorito?
Amo todos os livros da Adélia Prado, que é uma poeta brasileira. Não consigo escolher o melhor!

12 – O que mais gosta de fazer no tempo livre?
Ler, viajar, bater papo com as amigas e brincar com as crianças da minha família, que são muitas!