Innocence - Capítulo 13

8 de outubro de 2011




De volta com Innocence, leitores! E para a felicidade de todos, aqui vai o décimo terceiro capítulo! Para quem ainda não leu a história, é só e no link dos marcadores que fica embaixo do post. Mil beijos e até a próxima!
Capítulo 13 - Tentativas de dor

-Bella. Bella! Acorda – Alguém me sacudia. Virei-me lentamente e abri meus olhos para a claridade que ameaçava de cegar. – Por que não dormiu no quarto? – Perguntou Damen, ainda de pijama, acho que só ele tinha acordado.

-Não sei, acho que bebi água e vim para a sala – Eu disse sentando-me e olhando em volta. Edward já tinha ido embora, mas ele prometeu não sumir mais daquele jeito, então eu poderia ficar mais tranquila – Acabei adormecendo aqui mesmo – Eu disse sorrindo sem graça e me levantando – Acho que vou tomar banho – Eu disse, mas Damen, me impediu segurando minha mão, para que eu permanecesse ali com ele.

-Preciso falar com você, uma cosia séria – Disse ele, sério. O que será essa agora? – Bella, preciso saber o que você sente por mim.

Eu? Sentir algo pelo... Damen? Isso é pergunta que se faça?

-Por que a pe-pergunta? – Gaguejei um erro fatal meu.

-Porque, eu estou sentindo algo por você e é algo forte, uma coisa que nunca senti por alguém antes. Uma chama que começa aqui – Disse ele tocando em seu coração – E se alastra por todo o corpo, e isso só acontece quando estou com você, Bella. Queria saber, se serei correspondido se fosse estregar esse sentimento a você. Queria te falar que estou apaixonado por você.

Minha reação era de idiota. Por que Damen estava dizendo que estava apaixonado por mim. Que sentia uma coisa forte, só quano estava em minha companhia, isso não era algo de se esperar. Para os outros, mas para mim isso já era previsto. Já que a irmã do meu anjinho preparou essa presepada para mim. O que eu faria? Dizia que não, que eu estava apaixonada pelo meu anjo? Ou que sim, e seguia meu caminho, meu destino como dissera Edward? Sim e não, as palavras mais difíceis, pois é a partir delas que se reseolvem a maioria das coisas. Pensa Bella, pensa!

-Damen, eu também sinto alguma cosia por você, mas não é tão profundo pelo que você sente por mim. Meus sentimentos por você, é só de amizade, uma amizade que eu espero durar muito, você é praticamente um irmão, não te vejo como meu namorado, ou coisa do tipo.

-Deixe-me te mostrar meu amor. Deixa eu fazer você se apaixonar por mim, eu sei que posso fazer isso, já que você sente alguma coisa, isso pode aumentar, e se tornar um grande amor, uma paixão forte. Deixa eu tentar, dá essa chance a você. – Disse ele segurando minhas mãos e se aproximando de mim. Deixar ou não deixar levar pelo momento? Seu rosto chegou bem próximo, e só fazia se aproximar ainda mais. Até que nossos lábios se tocaram. Uma carícia, um simples toque, um choque na verdade, parecia que eu tinha levado um choque. Ele movimentou seus lábios sob os meus enquanto eu permanecia parada, apenas observando esse momento, tão errado para mim, mas tão certo para Damen, e tão certo e normal de acordo com Edward, que parecia ser o correto, mas para mim, tudo estava extremamente errado. Damen continuava a me beijar, com carinho, leveza, mas eu me afastei, encarei-o com um olhar de desculpas e corri para o quarto, onde puxei minha mala com as roupas e me tranquei no banheiro.

Como eu poderia ficar com um, pensando em outro? Que vida tirana era essa? Por que isso tinha que acontecer logo comigo?

-Edward – Sussurrei, o mais baixo possível, para não pensarem que eu tinha pirado de vez, e estava falando sozinha, mas para mim isso já era normalidade. – Eu não consigo. Eu preciso de você. Como posso ficar com Damen, se você domina minha mente? Meu corpo? Não dá para eu sentir os lábios dele nos meus, por que se eu deixar me envolver, só vou imaginar você no lugar dele.

-Você não pode fazer isso – Disse a pequena figura sentando em minha frente no piso do banheiro. Era Alice. A causadora disso tudo. – Sei que fiz uma bagunça. Uma enrolação total, ter flechado o Damen para você, mas ele estava em agonia, e eu não poderia deixá-lo sofrendo, espero que você e o Edward me perdoem. Mas você precisa tentar Bella. Nunca vai tirar o Edward da mente, se não tentar, sei que ele passou os limites, e desobedeceu umas cem regras, do nosso regulamento...

-Regulamento? – Perguntei sem entender nada – Você tem um regulamento? Como se fossem regras?

-É isso mesmo. E Edward quebrou a principal. – Disse ela me encarado. – Se apaixonou pelo seu protegido, isso é praticamente proibido, mas ele apareceu muito cedo para você, desde os dez anos, certo? – Perguntou ela e concordei – Não tiro a razão do mestre de ter mandado ele para você. Até por que sua mãe pedi, e você estava sofrendo demais, porém você cresceu na companhia ele, ele viu suas maiores angustias, te viu crescer, se tornar uma mulher, você está com catorze, certo? – Perguntou ela outra vez e afirmei com a cabeça – Foram momentos especiais e inesquecíveis para você, eu sei disso, mas agora é uma etapa. Ele não te abandonou completamente, mas não vai poder mais te visitar como fazia antes, ele quer que você diga seu caminho, sem a interferência dele – Disse ela séria, e uma lágrima escorreu por meu rosto.

-Mas ele tinha me prometido, não me abandonar nunca. Que sempre ele estaria comigo, nos meus piores momentos, e ele é tudo para mim – Eu disse me jogando nos braços de Alice, que me abraçou com força acariciando minhas costas, consolando-me.

-Isso vai passar, mas você precisa deixar que o Damen te ajude. Deixa ele te mostrar o amor que sente por você.

***

Tínhamos voltado. Já estávamos em Forks, e como tínhamos voltado pela manhã, Jasper e Damen marcaram de nos encontrarmos para sair à noite, jantar ou fazer algo do tipo, eu iria recusar, até pelo meu estado de espírito que não estava nada bom. Eu queria mesmo é ficar isolada, mas Alice disse que isso só iria me fazer recordar, as coisas das quais eu precisava esquecer, então acabei aceitando por força da Rose.

Passei à tarde em meu quarto, pensando se os conselhos de Alice, seriam válidos e nos absurdos de Edward. Não queria magoá-lo, mas ele queria se ver ferido, Então à noite eu precisava chegar a um ponto, colocar logo um final nisso tudo. Mas eu ainda não sabia em que final eu chegar. Eu estava entre duas saídas, nas quais uma era boa para mim, mas a outra era quem eu realmente amava.

Já estava começando a me arrumar. Rose tinha trazido um vestido para mim lindo, mas não combinava, em minha opinião comigo. Vesti sem questionar, e me maquiei com algo simples, nada espalhafatoso. Todos já estavam prontos e só me esperavam na sala, e quando apareci lá, de repente as bocas se escancararam, os olhares ficaram vidrados, e as pessoas tinham se tornado estátuas, nas quais demostravam horror, ou seria admiração?

-O vestido da sujo, rasgado? – Eu disse olhando para minha roupa, mas Esme logo veio postar-se ao meu lado .

-Não querida! Você está linda, perfeita – Disse ela sorrindo.

-Não exagera tia, até porque foi a Rosalie que escolheu o vestido... – Eu comecei a dizer, mas foi em vão. Todos estavam a me elogiar, e depois de uma sessão de falatório, seguimos com o carro para buscar o Damen, que ao entrar no carro também ficou de boca aberta me admirando. Sério, eu não me achava tão linda assim, era apenas uma garota sem sal, mas que tinha tudo nas ordens, também não era uma tábua, tinha umas curvinhas que podiam ser consideradas proporcionais.

Jantamos em um restaurante chinês, e o desafio da noite foi comer com os palitinhos. Não era necessário, mas fizemos só por diversão. Quando já íamos embora, chamei Damen para termos uma conversa. Rosalie e Jasper disseram que ia esperar no carro, então nos afastamos um pouco e falei:

-Damen, eu pensei em tudo que você me disse mais cedo, e também pensei em algumas coisas próprias, e queria dizer, que estou disposta a ficar com você, estou disposta a me apaixonar por você, porque eu também sinto algo, e é algo forte, mas ainda não sei distinguir...

-Shh - Ele disse silenciando-me colocando seus dedos em meus lábios – Eu entendi e estou disposto a te mostrar todo o meu amor – Disse ele aproximando-se de mim, e colando seus lábios aos meus.